Açúcar: vilão ou nem tanto?

E aí Supers, tudo bem? Hoje vamos falar do famoso açúcar refinado, aquele açúcar branco, bem doce, que é adicionado à diversos alimentos para aumentar o sabor e se tornar uma explosão dentro da sua boca. Muito têm-se atribuído ao açúcar como o vilão da era moderna e, claro, não poderíamos deixar de falar alguns mitos e verdades sobre ele. Pessoal, o açúcar refinado, em matéria de caloria, contém a mesma quantidade por grama que o carboidrato da batata-doce: 4kcal/g. Sim, exatamente a mesma quantidade. O que o faz então ser tão mal-visto enquanto a batata-doce é a herói dos marombeiros e modelos fitness? O carboidrato da batata-doce é conhecido por ser um carboidrato complexo que leva mais tempo para ser digerido e transformado em energia em nossos corpos. O que isso quer dizer? Que esse carbo complexo, por mais que possua a mesma quantidade calórica, ele vai te manter mais saciado por mais tempo - também ajudado pela quantidade de fibras - e não vai te dar o famoso pico de insulina, que é uma resposta natural do nosso corpo quando vê açúcar em nossa corrente sanguínea.


E o açúcar refinado? Galera, quando ingerimos açúcar refinado o nosso corpo leva pouquíssimo tempo para transformá-lo em energia para ser liberada e utilizada pelas nossas células e tecidos, dando um pico de insulina muito grande em nosso corpo. Esse hormônio, quando liberado, "varre" os nutrientes do nosso sangue para dentro das células. E o pior acontece: assim que passa o pico você entra no vale de insulina, quando seu corpo deseja MUITO aquele açúcar pois acabou de se privar do mesmo, fazendo você comer mais e mais, podendo gerar até uma compulsão alimentar. Caso você não tenha o auto-contrale de um monge tibetano, você irá ceder e comer até aquela jujuba velha que está esquecida no canto da sala... e o ciclo se reinicia. Mas então, quer dizer que nunca vou poder comer açúcar na minha vida? Calma Supers, sempre tem uma solução! Existem 2 momentos perfeitos para a ingestão de açúcares simples como o açúcar refinado, ou o mel, ou o suco de frutas por exemplo. O primeiro deles é logo pela primeira coisa de manhã. Você ficou muito tempo em jejum e seu corpo precisa de carboidratos rapidamente para suas células para reabastecer o estoque de glicogênio. Então, comer mel por exemplo - obviamente, dentro do que o seu coach ou nutricionista de passou - cai bem.

Diferenças no nível de glicose do sangue entre carboidratos simples e complexos. Observe que, quando enviado açúcar, o nível de glicose dispara e rapidamente cai. Quando há carboidrato complexo, o nível vai subindo aos poucos, de forma moderada. O segundo momento é após a academia, juntamente com seu shake de proteína. Lembra que falei que quando liberamos a insulina, ela vai varrer tudo que tem na corrente sanguínea e botar pra dentro das células? Pois é! Além de seus múculos estarem precisando desse carboidrato rapidamente já que foram destruídos pelo seu treino, a proteína do seu shake vai entrar em ação para a reconstrução muscular muito mais rápido. Legal né? Ou seja, o acúcar refinado (ou simples) pode ser muito bem aplicado em sua dieta sim, desde que sem exageros e nos momentos certos! No resto do dia galera, aí sim temos mesmo que nos focar nos carboidratos mais complexos - como a batata doce, massa integral, arroz integral, aveia, etc. Até a próxima! Foco e paz!

2 visualizações
logo.png
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

© 2020 por Super-Me Fitness Inc.

Todas as informações nesse site são guias para te auxiliar e não recomendações diretas do que fazer.